quarta-feira, 30 de abril de 2014


1º de maio

NOSSA HOMENAGEM AO TRABALHADOR

(vejam o que alguns pensam do trabalho)

O trabalho não justifica a existência. A gente trabalha para existir e vice-versa. (Jonh Lennon)

Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida. (Confúcio)

A humanidade é infeliz por ter feito do trabalho um sacrifício e do amor um pecado (Henrique José de Souza)

Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho. (Clarice Lispector)

Uma pessoa continua a trabalhar porque o trabalho é uma forma de diversão. Mas temos de ter cuidado para não deixarmos a diversão tornar-se demasiado penosa. (Nietzsche)

Pensar é o trabalho mais difícil que existe. Talvez por isso tão poucos se dediquem a ele. (Henry Ford)

Sua tarefa é descobrir o seu trabalho e, então, com todo o coração, dedicar-se a ele. (Buda)

 

terça-feira, 29 de abril de 2014


25 anos do domíno ".br" 
 
O domínio “.br” completou 25 anos nesse mês de abril e o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) possui hoje mais de 3,4 milhões de domínios registrados no país, através do Registro.br.
Em 18 de abril de 1989, o “.br” foi delegado pela IANA (The Internet Assigned Numbers Authority), ao grupo que operava redes acadêmicas no País e que fez em 1991 a primeira subdivisão do “.br” ao estabelecer os subdomínios org.br, gov.br, com.br, net.br e mil.br.
Como se vê, o “.br” foi utilizado inicialmente pela comunidade acadêmica para identificar as máquinas das redes que já existiam. Em pouco tempo outros segmentos da sociedade civil tiveram acesso às redes em geral e à Internet em particular e o domínio “.br” passou a ser cada vez mais utilizado.
Com o início da fase comercial da Internet, no começo de 1996, o “.br” já registrava 851 domínios e terminou o ano com 7.507 registros. Em abril de 2014, o Registro.br já passa de 3.4 milhões de registros.
 

segunda-feira, 28 de abril de 2014

28 de abril é o
Dia Mundial em Memória
às Vítimas de Acidentes de Trabalho
Os professores e alunos do nosso Curso de Engenharia e Segurança do Trabalho, destacam a data, pois de acordo com a Organização Internacional do Trabalho, em todo o mundo, cerca de 270 milhões de trabalhadores são vitimados em decorrência de acidentes de trabalho todos os anos.
O direito universal à saúde é uma conquista da cidadania brasileira, garantida na Constituição Federal, em seu artigo 196. A Saúde do Trabalhador está contemplada no âmbito deste direito na própria Carta Magna, disposta em seu artigo 200 como competência do Sistema Único de Saúde. Nesse sentido, as questões que associam saúde e trabalho deixam de se relacionar exclusivamente à relação entre trabalhador e empregador, passando a ser também um objeto da Saúde Pública.
Para cumprir com o seu dever de Estado, o Governo Federal, em ações articuladas entre os Ministérios da Saúde, da Previdência Social e do Trabalho e Emprego, vem desenvolvendo uma Política Nacional de Saúde e Segurança do Trabalhador. Entre as ações estratégicas desta Política, pode-se, destacar: a implantação de 178 Centros de Referência em Saúde do Trabalhador no SUS; a realização da 3ª Conferência Nacional de Saúde do Trabalhador – 3ªCNST (convocada pelos três Ministérios); novo método para concessão de benefícios previdenciários acidentários pelo INSS (nexo técnico epidemiológico).

Porque o dia 28 de abril?  Em 28 de abril de 1969, houve uma explosão em uma mina nos Estados Unidos matou 78 trabalhadores. A tragédia marcou a data como o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes do Trabalho. Encampando essa luta, mas com foco na prevenção, a Organização Internacional do Trabalho instituiu em 2003 o 28 de abril como o Dia Mundial de Segurança e Saúde no Trabalho.

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Artigo

Os mestres que empreendem
até na (aparente) instabilidade


As mudanças que vêm a bordo das novas tecnologias podem assustar. Mas há uma chave-mestra que leva do planejamento ao sucesso mesmo em tempos "muito loucos"

Há cerca de seis anos, o consultor Tom Peters, percorrendo o mundo com suas lições sobre a destruição criativa - numa herança tão bem desenvolvida e aprimorada a partir de Schumpetter - nos alertava sobre a importância da Tecnologia da Informação e da web na alavancagem de negócios e organizações hoje e amanhã. Ele dizia o seguinte: "Cortamos os orçamentos de TI e preterimos grandes projetos quando a economia desacelera. Mas só se chega adiante, e fora a calmaria econômica, pelo compromisso total com a TI. Falamos sobre o 'boom tecnológico' e a concomitante 'falência tecnológica' como se a promessa da tecnologia fosse coisa do passado. Mas a estupenda aventura na TI está apenas começando".

Ele concluía da seguinte forma: "procuramos tirar vantagem da web em nosso 'comprovado' modelo de negócio, quando o que devemos é re-imaginar esse negócio para que ele seja conduzido - interna e externamente - pela web e o poder de conectividade total".

Essa espécie de messias dos novos negócios em tempos "muito loucos", como ele gosta de afirmar, não escondia, entretanto, sua consciência de que tudo passa pelo foco absoluto no relacionamento com os clientes. Novas formas, novos projetos, inovações ininterruptas em busca de um relacionamento duradouro de encantamentos contínuos. Experiências memoráveis, diz ele de forma incansável.

Tudo isso me faz pensar nos empreendedores que possibilitaram chegarmos a esse ponto. Os pioneiros da modernidade. Que nada mais são que os empresários que souberam se utilizar da chave-mestra. Aquela que permanece desde os tempos em que não se falava em TI nem em rede mundial de computadores. Sabe qual é essa chave? A que abre qualquer porta por mais inexpugnável que pareça? Aquela que está por traz de todo planejamento estratégico bem-sucedido? É a perseverança.

Momento de se levar a sério uma expressão que virou jargão e se desgastou, de tanto que andou na boca de consultores bem-intencionados. "Só fracassa quem desiste". Ou, como dizia Fernando Sabino, numa tirada para nos estimular: "No final, tudo dá certo. Se não deu, é porque ainda não é o final".

Certa vez, dando uma palestra sobre as possibilidades da inovação contínua, para os membros da diretoria de uma empresa de médio porte, estávamos contando a história de algumas grandes organizações vencedoras (aquelas feitas para durar), quando o presidente da empresa saltou da cadeira: "Então, perseverança é a chave!", exclamou ele. E ficou nesse estado ao ter contato com os fatos que permeiam a gênese de grandes corporações. Quando eram de um tamanho menor e estavam engatinhando em seus projetos, quase todas elas falharam, e falharam. Até que a coragem de seus fundadores, o espírito de luta incansável - sem desistir, sem retroagir - os fizeram criadores de impérios.

Apesar de tudo isso, vemos hoje empresas assustadas sempre que uma mudança cultural se avizinha. A bordo de uma inovação tecnológica, um novo processo de negócios, etc. Sempre na esteira da web e da TI. A recomendação é a seguinte: envolver todos na organização. Conscientizar sobre os benefícios. Não se assustar quando maré parece contrária. Os riscos da inovação são a oportunidade que os clientes estão aguardando para um novo e melhor relacionamento.

De nada adianta esperar por um momento de estabilidade. Ele não virá. Assim sabiam e sabem - como o gênio Steve Jobs, fênix que sempre renasceu das cinzas dos negócios anteriores - os grandes mestres da instabilidade, os empreendedores que construíram e constroem este mundo dos negócios de hoje.

E o mundo sempre aguarda esses novos mestres.


Kendi Sakamoto é professor da Escola Paulista de Negócios e diretor da Kendi Sakamoto Contact Center Consulting



terça-feira, 22 de abril de 2014




Edição 2014
  
O Ministério da Integração Nacional - MI, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Regional - SDR,  lançou em 2009, o Prêmio Nacional de Desenvolvimento Regional Edição 2010: homenagem a Celso Furtado como uma das estratégias para estimular o processo de discussão e divulgação da Política Nacional de Desenvolvimento Regional - PNDR .  A partir da segunda edição, o nome do consagrado economista brasileiro foi incorporado permanentemente à denominação do Prêmio que passa a se chamar "Prêmio Celso Furtado de Desenvolvimento Regional".


Objetivo Geral

 Promover a reflexão, do ponto de vista teórico e prático, acerca  do desenvolvimento regional no Brasil, envolvendo o poder público e a sociedade civil organizada na discussão e na identificação de medidas concretas para a redução das desigualdades de nível de vida entre as regiões brasileiras e a promoção da equidade no acesso a oportunidades de desenvolvimento.
  

Categorias

 I. Produção do Conhecimento Acadêmico: Concorrerão teses de Doutorado e dissertações de Mestrado, que abordem temas para o aprofundamento do conhecimento da questão regional brasileira ou para a implementação de ações comprometidas com a redução das desigualdades regionais, como forma de contribuir para a compreensão da temática e a identificação de medidas de intervenção adequadas ao estágio atual das disparidades regionais no Brasil.

II. Práticas Exitosas de Produção e Gestão Institucional: Concorrerão relatos de experiências em andamento, com resultados positivos concretos, implementados por instituições governamentais nas esferas federal, estadual ou municipal, por entidades privadas e pela sociedade civil, que tenham gerado mudanças estruturais e transformações do território onde está instalada e de seu entorno.

III. Projetos Inovadores para Implantação no Território: Concorrerão propostas inovadoras de atuação no território, de natureza social, econômica, cultural ou ambiental, com comprovado potencial de transformação da realidade socioeconômica em escala sub-regional ou macrorregional, voltados para  dinamização econômica e inclusão produtiva, diversificação e fortalecimento da base produtiva e manutenção da competitividade.

Informações e Inscrições:  www.integracao.gov.br/premio-celso-furtado
Sabe por que 21 de abril é feriado nacional?

O dia 21 de abril  é o dia de Santo Anselmo - bispo e doutor da Igreja Católica. É também o dia da fundação de Brasília, a capital do Brasil (em 21 de abril de 1960). É também o dia em que morreu Tancredo Neves que foi um dos mais importantes políticos brasileiros do século XX. Mas o feriado foi definido para  homenagear o inconfidente Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes.

Convenhamos, é muito momento importante para um mesmo dia.

segunda-feira, 14 de abril de 2014

As Escolas de Pós-Graduação em Economia promovem Encontro Regional

A ANPEC e o Banco do Nordeste do Brasil promoverão nos dias 7 e 8 de agosto de 2014 o XIX Encontro Regional de Economia e o XX Fórum BNB de Desenvolvimento.
Os eventos serão realizados paralelamente na cidade de Fortaleza (CE) e têm por objetivo mobilizar a comunidade acadêmica e política em torno de questões relevantes para o desenvolvimento regional.

O prazo para submissão de trabalhos ao XIX Encontro Regional de Economia vai até 20 de maio de 2014. A chamada de trabalhos pode ser conferida no site da ANPEC: http://www.anpec.org.br/novosite/br/xix-encontro-regional-de-economia